quinta-feira, 18 de setembro de 2014

O ESPÍRITO DA COLMEIA (Víctor Erice/1973)

O interior das colmeias não é maciço, assim como a alma de uma garotinha obcecada pela morte (e pelo monstro necrótico de Frankenstein), maculada, sem saber, pelos fantasmas do franquismo e da Guerra Civil Espanhola. Erice impõe rigor formal minimalista à narrativa, subordinando-a uma cadência vagarosa composta por extensos planos de procedência pictórica. Na memória, o que fica gravado são os olhos de jabuticaba – lunares, impressionáveis, expressivos – da heroína mirim de Ana Torrent (Cría Cuervos). [Info] ★★★

Nenhum comentário:

Postar um comentário