terça-feira, 30 de setembro de 2014

LUZ DE INVERNO (Ingmar Bergman/1962)

O sol brilha no horizonte, raios de luz penetrando janela adentro numa modesta igreja durante o cinzento, sufocante inverno sueco, banhando o amargurado pastor em crise de fé – doente, prostrado, em prantos, abraçado à professora local que o ama sem ser correspondida. A cena representaria a manifestação divina que incontáveis protagonistas bergmanianos buscaram e de cuja ausência se ressentiam. Esse fugaz instante de calor humano – o único num filme de austeridade equivalente à de sua ambientação nórdica – sugere podermos encontrar no próximo o que outros buscam em Deus. [Info] ★★★★★

Nenhum comentário:

Postar um comentário