segunda-feira, 22 de setembro de 2014

LONGE DO PARAÍSO (Todd Haynes/2002)

Emprestadas a roupagem cênica artificial e a dramatização edulcorada de um típico melodrama sirkiano de seis décadas atrás, Haynes homenageia o antecessor enquanto avança, com sutileza, na exploração de uma pauta delicada. Tópicos agora abordados sem parcimônia (homossexualidade, preconceito, amor inter-racial) eram, naquele tempo conservador, problematizados e codificados veladamente em filmes perspicazes que, de inocentes, tinham só a aparência.

Destaque para as sublimes cores capturadas pelas lentes de Ed Lachman. Um primor de sensibilidade e teor. [Info] ★★★★

Nenhum comentário:

Postar um comentário