segunda-feira, 15 de setembro de 2014

DE OLHOS BEM FECHADOS (Stanley Kubrick/1999)

Kubrick permite Cruise titubear antes de proferir cada fala, além de repetir à exaustão uma faixa da trilha de Jocelyn Pook para sublinhar o clima de suspense e paranoia que antecede o desfecho – objeções menores se comparadas ao ar hipnótico, quase surreal a envolver a intriga relacionada à supressão de fantasias e tentações eróticas no contexto da (in)fidelidade marital.

Composições, enquadramentos, iluminação seguem primorosos. É na hora da climática orgia ritualística, porém, que o espectador distingue o talento do criador de Laranja Mecânica e 2001 – Uma Odisseia no Espaço. [Info] ★★★★★

Nenhum comentário:

Postar um comentário