domingo, 14 de setembro de 2014

CASA DE AREIA E NÉVOA (Vadim Perelman/2003)


Contenda rotineira assume contornos de tragédia. Suscita questionamentos sobre como a justiça pode ser um ideal inalcançável para pessoas com interesses colidentes que, em vista das circunstâncias, teriam direito equivalente ao objeto em disputa. O desamparo ante a forças maiores do que o indivíduo encurtam o atalho para o extravasamento de frustrações capazes de turvar o juízo e o caráter. As reviravoltas plantadas pelo roteiro fundam-se na realidade; suas consequências se fazem sentir no destino de personagens com os quais é possível estabelecer um elo de identificação. 

O prazer de acompanhar um enredo verossímil, ressonante e rico em sentimentos humanos supera o contentamento efêmero proporcionado por passatempos que só jogam poeira nos olhos. [Info] ★★★★

Nenhum comentário:

Postar um comentário