sábado, 27 de setembro de 2014

BABEL (Alejandro González Iñárritu/2006)

As dificuldades de comunicação – sobretudo entre familiares – compõem um dilema que suplanta, na gravidade dos efeitos decorrentes, as barreiras impostas pela variedade de línguas faladas ao redor do globo. O simbolismo da torre bíblica aludida no título é relativizado em prol da ênfase intimista (apesar da escala multicontinental) adotada pelo roteirista Guillermo Arriaga, intercalando e interconectando eventos isolados. Fotografia de cores notáveis, por Rodrigo Prieto. [Info] ★★★

Nenhum comentário:

Postar um comentário